Violência aumenta em cidades pequenas do Brasil

Mais uma vez o Brasil parou para acompanhar pela televisão os desdobramentos da falta de segurança nos presídios. O massacre de mais de 60 presos em Altamira, no Pará, apenas confirma os dados do Atlas da Violência 2019, que será lançado no fim da semana mas foi divulgado com exclusividade pelo Fantástico no último domingo.

Altamira, de acordo com a publicação, é a segunda cidade mais violenta do país, só ficando atrás de Maracanaú, no Ceará. O “Atlas da Violência 2019” vai apresentar dados de 2015 a 2017 e foi concebido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o Ipea, e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, seguindo o padrão internacional de pesquisa.

Ainda de acordo com o estudo, metade dos homicídios no Brasil é cometida em 2% dos municípios. E dos 20 municípios mais violentos dessa lista, quatro ficam no Pará: Altamira, Marituba, Marabá e Ananindeua. Cabe aqui reforçar que: esses municípios são o lar de 40% dos brasileiros.

trafico de armas

Ainda de acordo com as informações divulgadas pelo Fantástico, quando o assunto é a resolução dos homicídios, o Pará sai da dianteira e vai para o final da lista. Apenas 10% dos casos são solucionados. O estado com o melhor índice é o Mato Grosso do Sul.

Índices aumentam a cada ano

O índice de homicídios em território nacional tem crescido a cada ano, mesmo que as grandes capitais e centros urbanos tenham começado a registrar quedas. Isso porque o aumento da violência nas cidades pequenas e médias é tão expressivo, que leva os índices para as alturas.

De 1997 a 2017, a alta foi de 113% nos municípios com até 100 mil habitantes, e de 12,5% nos municípios entre 100 mil e 500 mil habitantes. Já nas cidades acima de 500 mil habitantes, houve queda de 4,5%.

Desigualdade social e narcotráfico

Os números contidos no Atlas da Violência são importantes também para avaliarmos outros aspectos da sociedade. Usando dados do IBGE, por exemplo, os pesquisadores do Atlas estudaram a relação entre violência e desenvolvimento humano.

Com isso, eles puderam constatar que nas cidades onde há mais homicídios, as pessoas ganham menos. Nem precisamos dizer que as moradias são mais precárias e a proporção de jovens, entre 15 e 24 anos, que não estudam e não trabalham, é bem maior (quatro vezes).

narcotráfico no brasil

A conclusão que podemos chegar com essas informações é que a violência no Brasil não é apenas uma questão de polícia. A falta de oportunidade de emprego, assim como pouco acesso à educação, acarreta sérias consequências para toda uma região.

No norte o problema ainda é agravado pela guerra das facções. Isso porque há uma estimativa de que 75% das drogas do mundo, principalmente a cocaína, entram pela Amazônia, por meio das fronteiras que interligam o Acre, o Amazonas e parte do Mato Grosso, áreas integrantes da Amazônia Legal. A proximidade com as zonas produtoras de droga aumenta o quadro de violência na região, principalmente quando se leva em conta as facções criminosas.

Segurança da Família

Sobre a causa

Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência, o que resta ao cidadão? Adotar medidas de defesa, mudando comportamentos pessoais e tudo mais que estiver a seu alcance! No "Segurança da Família" você terá acesso a informações sobre como se defender e evitar a violência, além de conhecer melhor os seus direitos! Leia mais

Envie seu Comentário

29 + = 33