Mulheres escolhem spray de pimenta para se sentirem mais seguras

A tática de defesa pessoal pode proteger contra tentativas de estupro, agressões e tentativas de assalto, desde que o criminoso esteja desarmado

spray de pimenta

Os números preocupam, alarmam e chocam: somente em 2016 foram relatados 49.497 casos de estupro. Naquele ano cerca de 135 mulheres foram estupradas e outras 12 assassinadas, diariamente. Mas como se proteger diante de realidades e dados tão assustadores? O medo e a insegurança tornou o spray de pimenta um grande aliado e companheiro de bolsa de muitas mulheres.

spray de pimenta

Os dados escancaram a realidade de que as mulheres estão entre as maiores vítimas da violência urbana.

Esse post foi preparado especialmente para que você saiba mais sobre o spray de pimenta:

> Entenda suas variações, como os sprays de gengibre e de ervas;

> Conheça o caso de mulheres que se sentem mais protegidas carregando um spray de defesa pessoal;

> Veja a opinião de uma marca que criou um spray pensando especialmente nas mulheres;

> Alerta sobre os cuidados e casos em que você pode utilizá-lo.

Spray de pimenta e sua variações

Geralmente obtido com o extrato de pimenta natural e utilizado pelas forças armadas para conter distúrbios civis, confusões e problemas de menor impacto ou gravidade, o spray de pimenta gera contradições em seu uso pelos cidadãos comuns.

Considerado uma arma não letal, ele age nas mucosas dos olhos, do nariz e da boca, causando irritação, ardência e sensação de pânico.

Como o spray de pimenta ainda causa controvérsias e dúvidas de seu uso para os civis, o spray de gengibre e outros, como os de ervas, causam efeitos semelhantes ao agressor e são permitidos há algum tempo para o uso por maiores de 21 anos que querem se sentir mais seguros na rotina da vida urbana.

spray de pimenta

O spray de pimenta e suas variações, como o spray de gengibre e de ervas agem diretamente nas mucosas dos olhos, do nariz e da boca do agressor.

Elas usam spray de defesa pessoal

A engenheira mecânica Nathália Argolo, de 27 anos, tinha um spray de gengibre sempre à mão durante boa parte de sua época de faculdade. De São José dos Campos, na região do Vale do Paraíba, em São Paulo, ela passou a morar em Campinas, no interior do estado, em 2011, para estudar na Unicamp.

“Ganhei do meu irmão e passei a andar com ele sempre na bolsa até a data de validade, depois troquei por outro. Quando passava por algum lugar escuro, já ficava com ele na mão. Na época estavam acontecendo inúmeros casos de estupro no bairro onde fica a faculdade e era assustador. Eu morava longe e tinha de andar uma boa distância sozinha, por isso comecei a andar com o spray sempre comigo”.

Hoje engenheira anda a maior parte dos trajetos de carro e dispensa o objeto para defesa pessoal. Nathália nunca o utilizou, mas se sentia mais segura com a possibilidade de se defender.

“Dificilmente ando na rua sozinha, sempre evitei desde que parei de andar com o spray. A sensação não é de estar 100% protegida, mas de ter uma chance maior de escapar de uma situação de risco”.

A publicitária Fernanda Yukari, de 35 anos, tem um pensamento semelhante, mas se protege de uma forma que pode ser considerada até mesmo inusitada.

“Eu pensei em usar spray de pimenta e até cheguei a pesquisar para comprar. Depois, lendo sobre isso, descobri que spray de Gelol, analgésico e anti-inflamatório, tem o mesmo efeito, passei a andar sempre com o meu. Mas ainda bem que só precisei usar para o meu futebol mesmo”.

A publicitária conta que mora em um bairro tranquilo e seguro de Diadema, no Grande ABC Paulista, mas sentiu necessidade de se proteger depois que dois amigos foram agredidos em um caso de homofobia.

“Claro que o medo sempre dá, mas não o de assalto porque eu não me importo de levarem o que eu tenho, mas sim o medo de ser estuprada”.

Spray de defesa pessoal para mulheres

A equipe do VS marcou presença em todos os dias da Laad Security, principal Feira de Segurança Pública e Corporativa da América Latina, para conhecer mais novidades do setor.

Entre os expositores, a Poly Defensor apresentou seu portfólio de sprays de defesa pessoal, sendo a novidade um modelo desenvolvido especialmente para as mulheres, o Defende – Ela.

spray de pimenta

O spray de defesa pessoal Defende – Ela foi desenvolvido especialmente para o público feminino.

A arma não letal é produzida a partir de óleos e extratos vegetais, muito menos nociva que a pimenta e que pode ser usada pelas mulheres. Rosana Coutinho trabalha na fábrica da empresa e explica que é possível incapacitar o agressor, formando uma névoa, e escapar de uma situação de risco com até 3 metros de distância.

“A principal preocupação é o empoderamento da família, da mãe, da filha, que saem para trabalhar e muitas vezes são atacadas sem arma nenhuma. Com o spray, você consegue escapar de um estupro ou assalto sem arma. Se você evitar um problema, já valeu o investimento. O ideal é não precisar, mas caso surja a necessidade, é bom poder contar com isso”.

O spray pode ser encontrado em lojas de pesca, caça e esportes outdoor a um preço médio de R$ 99,00, com validade de 5 anos.

Fique atenta!

O uso do spray de defesa pessoal, seja de pimenta, gengibre, ervas ou suas variações, só é indicado em casos que o agressor esteja desarmado! Jamais reaja a abordagens com o uso de armas de fogo, já que mesmo incapacitado pelo spray, o criminoso pode utilizá-la de maneira que ponha em risco a sua segurança e a sua vida.

Veja quando usar o spray de pimenta para defesa pessoal de forma segura:

> Em caso de agressões;

> Tentativa de estupro;

> Situações abusivas, como o assédio do transporte público;

> Assalto no caso de abordagem desarmada;

> Caso o agressor esteja armado, não reaja e procure a polícia após a ação.

Leia também

Violência faz com que mulheres procurem métodos de defesa pessoal

Segurança da Família

Sobre a causa

Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência, o que resta ao cidadão? Adotar medidas de defesa, mudando comportamentos pessoais e tudo mais que estiver a seu alcance! No "Segurança da Família" você terá acesso a informações sobre como se defender e evitar da violência, além de conhecer melhor os seus direitos!

Envie seu Comentário

86 − 79 =