Cartões trocados em casa? Como agem os golpistas

Mais um golpe que tem prejudicado a segurança dos idosos no Brasil é a troca de cartões. Tudo começa com uma ligação telefônica. Simpático (a), o (a) atendente do outro lado da linha pergunta se o idoso acabou de efetuar compras online já prevendo que a resposta será negativa. Com a certeza de que a grande maioria dos idosos não costuma comprar pela internet com frequência, eles encontram vítimas certeiras em grande parte das suas investidas.

Depois de receber a ligação, o idoso nega que tenha tido qualquer tipo de gasto e é informado de que seu cartão foi clonado e precisa ser trocado. É aí que começa o golpe de verdade: Usando todas as técnicas de persuasão, os bandidos convencem o idoso a fornecer o endereço residencial para que a troca seja feita por meio de um portador do banco.

Durante essa visita, o motoboy “enviado pelo banco” chega ao local com um envelope registrado pela instituição financeira e diversos formulários devidamente timbrados, para que não haja qualquer tipo de dúvida sobre a troca de cartões e a vítima seja convencida a fornecer todas as informações que ele pedir.

Antes de ir embora, o
motoboy entrega o envelope com o novo cartão para o aposentado e pede o antigo
para que ele possa cancelar junto ao banco. Com dados pessoais e número completo
do cartão e código de segurança em mãos, os golpistas começam a realizar
compras online, que só terminam quando o idoso se dá conta de que foi vítima de
um golpe e entra em contato com o gerente de verdade da sua conta.

Esse tipo de golpe é mais aplicado em idosos justamente por envolver um processo mais “pessoal”, de ida até a residência, contato por telefone, preenchimento de informações à mão em formulários. Com a tecnologia muito mais presente na vida dos mais jovens, eles normalmente checariam as suas compras recentes pelo internet banking ou aplicativo de celular, percebendo assim que a justificativa para a troca do cartão dada na primeira ligação é falsa.

golpe do motoboy

Veja abaixo algumas
dicas de como se proteger da troca de cartões:

  • Sempre que receber qualquer tipo de ligação referente à sua conta
    bancária, desconfie. Nesse tipo de contato, os dados devem ser sempre
    fornecidos pela instituição financeira, não por você.
  • Caso te informem que seu cartão foi clonado, diga que precisa
    desligar o telefone e peça para retornarem em alguns minutos. Ligue para o
    seu gerente ou para o número da central do banco que está na parte de trás
    do cartão e confirme se de fato essas compras estranhas foram feitas.
  • Em caso de clonagem de
    cartão, faça o bloqueio pelo telefone e vá até a agência bancária para
    solicitar o novo. Não acredite em troca de cartão à domicílio.
  • Por mais convincente que possa parecer o
    atendente, não passe nenhum tipo de dado pessoal, documento ou endereço
    para qualquer pessoa que não seja o gerente da sua conta presencialmente
    ou caso você tenha iniciado a ligação.

Segurança da Família

Sobre a causa

Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência, o que resta ao cidadão? Adotar medidas de defesa, mudando comportamentos pessoais e tudo mais que estiver a seu alcance! No "Segurança da Família" você terá acesso a informações sobre como se defender e evitar a violência, além de conhecer melhor os seus direitos! Leia mais

Envie seu Comentário

2 + 5 =