Violência contra idosos aumentou 13%

Você conhece algum idoso que já tenha sido vítima de violência, seja ela física ou psicológica? As chances de você ter respondido que “sim” são bem grandes. Sabe porque? De acordo com um levantamento feito pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, somente no ano passado o Disque 100 registrou um aumento de 13% no número de denúncias sobre violência contra idosos.

O serviço recebeu 37.454 notificações em 2018, sendo que a maioria das agressões foi cometida nas residências das vítimas (85,6%), por filhos (52,9%) e netos (7,8%). Esse número, alto, mostra que os idosos no Brasil se encontram em situação de vulnerabilidade e que cabe a nós, familiares, amigos e cidadãos, o cuidado com a segurança dos idosos.

violência contra os pais

O levantamento, que foi divulgado no início de junho, mostra que as maiores vítimas são as mulheres idosas, sendo elas as agredidas em 62,6% dos casos. Os homens representam 32,2%. Em 5,1% dos registros, o gênero da vítima não foi informado.

Quanto maior a idade, maior o número de agressões

Se analisarmos os dados com base no perfil de idade, é possível perceber que predominam pessoas com idade entre 76 e 80 anos (18,3%) e entre 66 e 70 anos (16,2%). O relatório também destaca que quase metade das vítimas (41,5%) se declarou branca, 26,6% eram pardas, 9,9% pretas e 0,7% amarelas. As vítimas de origem indígena representam 0,4% do total.

As agressões mais comuns

Assim como já dissemos anteriormente, o abandono de idosos é um problema sério no Brasil. E os dados do Disque 100 confirmaram isso: 38% das denúncias tinham a ver com negligência. É a maior causa de reclamação entre os idosos, seguida pela violência psicológica (26,5%), configurada quando há gestos de humilhação, hostilização ou xingamentos; e a violência patrimonial, que ocorre quando o idoso tem seu salário retido ou seus bens destruídos (19,9%).

A violência física, que é a forma mais “visível” de agressão está em quarto lugar, em 12,6% dos relatos. Cabe, no entanto, ressaltar que em muitos casos mais de uma denúncia é feita por vez. Então boa parte dos idosos que disseram ter sofrido violência física, por exemplo, também foram vítimas de outras formas de abuso.

violência contra o idoso

De acordo com relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) publicado na revista Lancenet Global Health, um em cada seis idosos é vítima de violência em todo o mundo.

O estudo revela que 16% das pessoas com mais de 60 anos sofreram algum tipo de abuso, como os casos de negligência, violência psicológica, física e sexual.

A OMS prevê ainda que em 2050 o mundo de idosos em todo o mundo deve dobrar aos números atuais, chegando a 2 bilhões. Se isso se concretizar e mantendo a estimativa de violência dos dias de hoje, o número de abusos ou violência contra o idoso deve chegar a 320 milhões até lá.

Denúncias pelo Brasil

O problema da falta de segurança do idoso é recorrente em todo o Brasil. O estado de São Paulo aparece em primeiro lugar na lista, concentrando 9.010 dos casos reportados. O estado de Minas Gerais ocupa a segunda posição, com 5.379 registros, seguido por Rio de Janeiro, com 5.035 e Rio Grande do Sul, que responde por 1.919 ocorrências.

Denuncie!
Se você presenciar ou souber de algum caso de violência, denuncie! As autoridades estão prontas para garantir a segurança do idoso, registrando os casos, investigando e penalizando os culpados:

Ministério dos Direitos Humanos: Disque 100;
Disque Denúncia: 181;
Polícia Militar: 190.

Segurança da Família

Sobre a causa

Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência, o que resta ao cidadão? Adotar medidas de defesa, mudando comportamentos pessoais e tudo mais que estiver a seu alcance! No "Segurança da Família" você terá acesso a informações sobre como se defender e evitar a violência, além de conhecer melhor os seus direitos! Leia mais

Envie seu Comentário

38 − 35 =