Você sabia que os acidentes no trânsito são a terceira maior causa de morte no mundo? Pois acredite! Eles ficam atrás apenas das doenças cardíacas e do câncer. E essa não é uma realidade tão recente assim.

Eles ocupam o terceiro lugar neste triste pódio ao menos desde 2011, quando a Organização Mundial da Saúde iniciou a década das ações contra acidentes no trânsito. São ações visam ao esclarecimento e orientação da população para tentar reverter os números, que aumentam ano a ano, principalmente com o uso do álcool.

onda de arrastões

E, no Brasil, essa realidade não é diferente. Aqui contamos ainda com um agravante: o uso de celular. Apesar das diversas campanhas, placas de aviso pelas ruas e da multa pesada que o uso de celular no volante pode acarretar, um em cada cinco brasileiros usa o aparelho enquanto dirige. Um estudo feito pelo Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), ligado ao Ministério da Saúde, mostrou ainda que esse hábito é mais comum entre indivíduos jovens (25 a 34 anos) e com maior escolaridade (12 anos ou mais de estudo).

Entre as capitais investigadas, os maiores percentuais de uso de celular durante a condução de veículo foram encontrados em Belém (24,1%), Rio Branco e Cuiabá (24,0%). Em seguida: Vitória (23,7%), Fortaleza (23,5%), Palmas (22,4%), Macapá e São Luís (22,6%). Já as capitais com menor uso de celular por condutores são Salvador (14,2%), Rio de Janeiro (17,2%), São Paulo (17,4%) e Manaus (18,0%).

O trânsito no Brasil mata. Muito. A cada 1 hora, cinco pessoas perdem a vida nas ruas e estradas do país. São famílias que se tornam incompletas, despedaçadas, em uma fração de segundo, um acidente rápido que muitas vezes poderia ser evitado. Além das mortes, cerca de 20 pacientes chegam aos hospitais a cada hora por culpa de acidentes de trânsito. São dados absurdamente altos, que refletem a falta de prudência e segurança de nossas vias e causam um rombo  gigantesco nos orçamentos do SUS (Sistema Único de Saúde).

imprudência no trânsito

De acordo com dados apresentados no início do ano pelo CFM (Conselho Federal de Medicina), que realiza em Brasília um evento nacional para tratar do problema, ao todo mais de 1,6 milhão de pessoas ficaram feridas em dez anos ao custo de R$ 3 bilhões ao SUS e 438 mil pessoas morreram no período. Ainda de acordo com o estudo, a imprudência é a principal razão para os desastres. Em 60% dos casos, quem morre tem idade entre 15 e 39 anos, enquanto 8,2% têm de zero a 14 anos e 8,4% são maiores de 60 anos.

Dicas para um trânsito mais seguro

O trânsito é construído diariamente por todos os cidadãos: motoristas, pedestres, ciclistas. Para melhor harmonia e redução da violência no tráfego, é fundamental respeitar as leis e estar atento a dicas valiosas:

  • Se for dirigir, não beba; e se beber, não dirija;
  • Use sempre os acessórios para segurança;
  • Faça revisões regularmente em seu veículo;
  • Não faça ultrapassagens nem manobras proibidas ou que possam causar riscos a você e a outras pessoas;
  • Respeite os limites de velocidade e evite correr;
  • Mantenha uma distância confortável do veículo à frente.