Um a cada 5 brasileiros usa o celular no volante

Para trabalho, lazer, estudo ou mesmo para se localizar pelas ruas, os celulares fazem parte da vida das pessoas e já se tornaram indispensáveis. Mas e quando ele é utilizado por quem está no volante? Prejudicial para a atenção do motorista, os celulares são causadores de inúmeros acidentes de trânsito todos os dias.

Apesar das diversas campanhas, placas de aviso pelas ruas e da multa pesada que o uso de celular no volante pode acarretar, um em cada cinco brasileiros usa o aparelho enquanto dirige. Um estudo feito pelo Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), ligado ao Ministério da Saúde, mostrou ainda que esse hábito é mais comum entre indivíduos jovens (25 a 34 anos) e com maior escolaridade (12 anos ou mais de estudo).

segurança do motorista

“Eu estou sempre dirigindo muito, passo muito tempo no carro e preciso me comunicar, então acabo usando o celular. Mas já usei muito mais. Hoje trabalho em uma cidade e moro em outra, então pego muita estrada, aí a velocidade é muito mais alta e se você se distrair rápido alcança outro carro, o acidente é muito grande. Mas eu sempre tive o costume de usar”, comenta a professora universitária Aline Pasquino.

Essa não é uma realidade apenas dela. Entre as capitais investigadas, os maiores percentuais de uso de celular durante a condução de veículo foram encontrados em Belém (24,1%), Rio Branco e Cuiabá (24,0%). Em seguida: Vitória (23,7%), Fortaleza (23,5%), Palmas (22,4%), Macapá e São Luís (22,6%). Já as capitais com menor uso de celular por condutores são Salvador (14,2%), Rio de Janeiro (17,2%), São Paulo (17,4%) e Manaus (18,0%).

trotes ao samu

“Quando eu estava com alguém dentro do carro, a pessoa me falava para parar de usar. E eu já cheguei perto de bater muitas vezes, além de ter sido multada e de ter levado uma bronca de um policial. E já bati bem de leve, não foi nada sério porque eu estava no semáforo, quando comecei a olhar para o celular não percebi que meu carro se movimentou e encostou no carro que estava parado à frente. Foram muitas as situações e hoje diminuí drasticamente o número de vezes que uso o celular o quanto dirijo, porque sei que é errado e tira muito a atenção do motorista, mesmo que seja só olhar para o telefone para ver o GPS”, finaliza Aline.

Também de acordo com o Ministério da Saúde, os acidentes de trânsito são a segunda maior causa de mortes por fatores externos no Brasil. Em 2017, foram registradas 35.300 mortes no trânsito e 166.277 internações.

O estudo aponta também que a imprudência no trânsito resulta em lesões físicas, como amputações e traumatismo cranioencefálico, e sequelas emocionais. Além disso, estima-se que esses incidentes gerem 229,2 milhões de reais ao ano em gastos com internações.

sequestro relâmpago

Educação é a chave

Quem também foi pego usando o celular foi Kauê Simões de Campos. O jovem, que trabalha como motorista de Uber, foi abordado por um guarda de trânsito enquanto aceitava uma corrida – e dirigia ao mesmo tempo. Foi aí que ele descobriu que a cidade onde mora estava com um novo projeto de educação de trânsito.

“O guarda me contou sobre uma campanha nova que estavam implementando em Santos pela diminuição de multas de trânsito, marcou uma palestra comigo e outros motoristas e me dispensou. No dia da palestra tinham umas 20 pessoas, algumas indicadas por empresas que trabalhavam. Eles mostraram vários problemas no trânsito, não só com o celular, mas também de estacionamento, uso capacete, fones de ouvido, rotatórias, multas e até falaram sobre a própria CET”, explica.

É preciso que campanhas como essa sejam implementadas em mais locais, para que os condutores entendam os reais riscos envolvidos quando utilizam o celular no volante e assim passem a repensar os próprios hábitos.

fugir do local do acidente

Os perigos do celular

De acordo com o Detran, o uso de celulares no trânsito aumenta em 400% o risco de acidentes. O principal risco envolvido é a perda de atenção. Ao olhar para o celular para verificar mensagens ou mesmo o mapa do GPS, o motorista tira os olhos da pista por alguns segundos. A atitude, que parece inofensiva, pode ser o fator decisivo para um acidente grave. A atenção do motorista deve estar 100% na pista e qualquer leve distração traz graves consequências. Além disso, realizar chamadas, mesmo que no fone ou viva-voz, também faz com que o motorista perca a noção auditiva do trânsito, colocando sua própria vida em risco e a dos demais motoristas também.

Segurança da Família

Sobre a causa

Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência, o que resta ao cidadão? Adotar medidas de defesa, mudando comportamentos pessoais e tudo mais que estiver a seu alcance! No "Segurança da Família" você terá acesso a informações sobre como se defender e evitar a violência, além de conhecer melhor os seus direitos! Leia mais

Envie seu Comentário

6 + 3 =