Um amor incondicional que ultrapassa gerações, doação, carinho e conforto. Seja religiosa ou culturalmente, pais e mães são vistos como figuras quase sagradas no que diz respeito ao amor e à relação com os filhos. Mas, essa não é uma realidade em todas as famílias. Pais tóxicos costumam ser grandes responsáveis por violência no lar e traumas psicológicos que são levados por toda a vida.

Cobranças, agressões físicas e verbais e violência psicológica são alguns dos comportamentos desses tipos de familiares. As consequências, no entanto, vão além da convivência diária e da relação entre pais adultos e suas crianças, podendo se estender por toda a vida e ser um dos principais fatores para baixa autoestima, ansiedade e quadros de depressão.

pais tóxicos

Preparamos um post completo para que você entenda mais sobre essa dor, angústia e violência que começam dentro de casa:

> Quem são os pais tóxicos e quais são suas principais atitudes;

> Os sinais que indicam familiares tóxicos;

> Formas de lidar com essa situação que começa no lar.

Quem são os pais tóxicos?

É fácil associar familiares tóxicos a pessoas agressivas e com outros problemas associados, como os financeiros ou os vícios, por exemplo. No entanto, pais tóxicos podem ser pessoas consideradas comuns e tranquilas, cujo comportamento perturbador seja direcionado especificamente aos filhos.

Uma sociedade que endeusa a maternidade e rejeita qualquer comportamento que se oponha ao sonho que gira em torno da família faz com que mulheres e homens tenham filhos que não desejavam e levem uma vida de acordo com o que é esperado por outras pessoas, mas não aquilo que desejavam para si.

As atitudes que refletem características diretas da violência psicológica podem estar associadas à falta de preparo, ao egoísmo, à pressão social por comportamentos maternais ou a uma situação que muitos acreditam ser impossível existir: pais que não gostam de seus filhos.

A soma de tantos fatores tem um resultado negativo, já que quem sofre as consequências por insatisfações dos genitores são os próprios filhos. Abusos, agressões verbais e físicas, isolamento e confinamento, pressão psicológica e traumas por toda vida são as principais heranças deixadas por esses familiares.

Atitudes de pais tóxicos

pais tóxicos

Algumas ações podem identificar pais tóxicos? Sim! Se você sofre com isso ou conhece filhos que lidam com sofrimento na relação com familiares, fique atento aos sinais da violência capaz de minar a autoestima:

  1. Fazem com que os filhos se sintam mal – atitudes como duras críticas ou exposições são comuns;
  2. Egoísmo – ainda que de forma muito negativa, pais tóxicos exigem muita atenção dos filhos e concentram a atenção e as necessidades em si mesmos;
  3. Exigentes, autoritários e intolerantes – constantemente exigem dos filhos muito além do que é considerado normal, as cobranças são constantes;
  4. Manipuladores ou pouco comunicativos – tendem a violentar psicologicamente os filhos seja com o silêncio ou com a manipulação do pensamento;
  5. Superproteção – a toxicidade pode estar disfarçada de amor e excesso de zelo. Muitas vezes, pais superprotetores criam filhos inseguros ou focados em realizar principalmente o sonho da família.

Como lidar?

O laço sanguíneo e a dependência, especialmente na infância e na adolescência, fazem com que esse ciclo e essa relação seja constante. No entanto esse quadro pode ser mudado, principalmente na fase adulta:

  1. Mostre firmeza – filhos com opiniões próprias e pouco manipuláveis podem não ser tão afetados por pais tóxicos;
  2. Entenda seu ponto fraco – saber onde genitores apostam para violentar emocionalmente seus filhos é um ponto fundamental para que a proteção;
  3. Desapegue-se – uma relação saudável deve ser prioritária e vai além da relação familiar;
  4. a violência psicológica e emocional é capaz de minar a estabilidade e a autoestima, saiba a hora de se afastar.

 

Leia também

Abandono de crianças, dor e sofrimento que começam cedo

14 relatos de pessoas que sofreram com mães tóxicas