No último mês, começou a circular em grupos de WhatsApp e nas redes sociais uma imagem que utiliza personagens da Turma da Mônica e linguagem infantil para pedir dados do “cartão de crédito da mamãe”.

Segundo a mensagem, o grupo estaria procurando um “novo amigo” e, para tanto, seriam necessários citar número do cartão de crédito, data de expiração e código de segurança. A imagem, porém, não é oficial.

A Mauricio de Sousa Produções se e explicou que “não tem nenhuma relação com postagem fake que circula na rede internet e aplicativos de mensagens, como WhatsApp, usando indevidamente as imagens dos personagens da Turma da Mônica solicitando para as crianças o envio de dados de cartão de crédito e CPF de seus pais. A MSP alerta para que não se repasse esse tipo de conteúdo falso adiante”.

Essa não é a primeira vez que a turminha mais famosa do Brasil é utilizada por criminosos como isca para atrair as crianças. Em outubro de 2019 outra imagem circulou pelas redes com a turma do limoeiro estampada. O golpe dizia que os pequenos receberiam uma série de presentes de Dia das Crianças caso se cadastrassem em um portal.

Como evitar

Os golpes pelo Whatsapp são cada vez mais comuns e precisam ser evitados ao máximo pelos usuários. Claro que, neste caso, a principal forma de prevenção é controlar a navegação dos mais novos e conversar com as crianças sobre o que elas devem ou não fazer durante o tempo online.

Mas nas demais fraudes os adultos também são alvo! Saiba como se proteger de golpes online:

  • Não responda links adicionados a e-mails ou no Facebook.
  • Não abra anexos contidos em qualquer e-mail que não tenha sido solicitado por você, mesmo que aparentemente seja de uma empresa de confiança.
  • Proteja suas senhas e não revele-as a ninguém.
  • Verifique sempre a URL dos sites antes de clicar. Em muitos casos de phishing pode ocorrer erro de grafia
  • Mantenha seu navegador atualizado e utilize atualizações de segurança.
  • Tenha sempre um antivírus e uma ferramenta antiphishing atualizados em seu computador.
  • Não clique em links recebidos pelo whatsapp sem antes perguntar sobre o que se trata para quem o enviou. Não clique também se a pessoa responder que acabou de receber e decidiu compartilhar.