Estupro de crianças, as grandes vítimas de violência sexual no Brasil

Quase 51% dos casos de estupro registrados em 2016 são de crianças de até 13 anos

estupro de crianças

Toda criança tem direito a carinho, cuidados e proteção. Mas, em alguns casos, quem deveria zelar pela segurança do pequeno é também quem dá origem a seus maiores traumas. O estupro de crianças representa metade das violações sexuais registradas no Brasil.

Os dados se repetem também quando o assunto é estupro coletivo, com vítimas de até 13 anos em grande parte das ocorrências. O levantamento é parte do Atlas da Violência 2018, fruto da parceria entre o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FSBP) e tendo como base os dados nacionais do sistema de saúde e do sistema policial.

Em 2016, dos 49.497 casos de abusos sexuais registrados, 50,9% se refere ao estupro de crianças, de acordo com os microdados do sistema de saúde – percentual que mantém certa estabilidade desde 2011. Outros 17% das vítimas são adolescentes entre 14 e 17 anos.

estupro de crianças

No caso de estupros coletivos, as crianças continuam sendo maioria, com 43,7% das ocorrências, enquanto adolescentes representam 20,1% das vítimas e maiores de idade, 36,2%.

A proximidade da vítima e a forma que os agressores agem com menores incapazes de se defenderem choca e assusta. A equipe do Vs fez um post completo para que você entenda mais sobre esse tipo de violência:

> Proximidade e parentesco entre agressores e vítimas em caso de estupro de crianças;

> Identifique sinais de abuso sexual em menores;

> Saiba como denunciar os criminosos.

Agressores são próximos à vítima

Nos registros de estupro de crianças, os agressores são pessoas próximas ao menor em mais da metade dos casos. Os maiores números de ocorrências acontecem entre amigos ou conhecidos da família (30,13%), pais (12,03%), e padastros (12,09%).

Além do impacto emocional e do trauma gerado pela agressão vinda de alguém tão próximo, esse tipo de violência sexual, quando acontece entre parentes e familiares, nem sempre é registrado, ocorrendo uma subnotificação preocupante dos casos.

Estupro de crianças: identifique os sinais

Ainda que nem sempre os pequenos revelem o que está acontecendo com medo de possíveis consequências, alguns sinais de comportamento denunciam que uma criança pode estar sendo vítima de algum tipo de violência sexual. Saiba como perceber e identificar:

  1. Mudança de comportamento: fique alerta se seu filho costumava agir de uma forma a determinado estímulo e, subitamente, passa a se comportar de maneira diferente, principalmente se essa mudança estiver associada à presença de outra pessoa – o possível abusador;
  2. Proximidade excessiva: da mesma maneira que a criança pode apresentar repulsa ao agressor, é bom ficar atento à súbita proximidade ou curiosidade de pessoas mais velhas;
  3. Regressão: outro comportamento apontado por especialistas no caso do estupro de crianças é quando elas passam a ter atitudes mais infantis e desproporcionais à idade;
  4. Segredos: se você desconfia que seu filho guarda segredos, converse com ele. É comum que o abusador faça chantagens ou dê presentes em troca do silêncio da vítima;
  5. Hábitos: a criança vítima de abuso pode apresentar mudança nos hábitos, até nos momentos aos quais ela está mais acostumada, como a concentração na escola. Fique de olho nos sinais;
  6. Sexualidade: ficar mais envergonhado ou, por outro lado, enfatizar e fazer referências à genitália q questões de sexualidade podem ser sinais de abuso;
  7. Sintomas físicos: se a criança silencia, é provável que o corpo fale. Preste atenção a marcas, hematomas ou mudanças no corpo do pequeno que façam referência a algum tipo de agressão.

estupro de crianças

 

Denuncie!

O estupro de crianças e adolescentes tem números e casos absurdos no Brasil. Você pode evitar que outros menores sejam vítimas desse crime denunciando os agressores. A denúncia pode ser feita de forma anônima, e o criminoso deve ser punido mesmo que seja alguém da família. Saiba como:

  • O Disque 100 tem um foco especial na denúncia de casos de violência contra crianças e adolescentes. O canal funciona 24 horas, 7 dias por semana;
  • Reporte o crime pelo Disque Denúncia 181;
  • Procure diretamente a delegacia, que fará o registro do Boletim de Ocorrência e pedirá um Exame de Corpo de Delito como uma das evidências a serem analisadas no caso de estupro de crianças.

 

Leia também

Violência contra crianças e adolescentes cresce 10% em 2017

Segurança da Família

Sobre a causa

Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência, o que resta ao cidadão? Adotar medidas de defesa, mudando comportamentos pessoais e tudo mais que estiver a seu alcance! No "Segurança da Família" você terá acesso a informações sobre como se defender e evitar da violência, além de conhecer melhor os seus direitos!

Envie seu Comentário

33 − 27 =