Pouco comum, mas que afeta muitas pessoas por seu grau de “profissionalismo”, o Golpe do Precatório merece atenção! Para ajudar você a não cair mais nesse tipo de armadilha e manter a sua segurança financeira em dia, preparamos um artigo com todas as informações para que você possa detectar a fraude e se defender.

Golpe do envelope vazio

Como funciona o golpe

Os estelionatários conseguem, de maneira ilegal ou não, listas de beneficiários reais de precatórios – que são pagamentos de indenização em condenações judiciais movidas contra as Fazendas Públicas. Esses beneficiários se tornam, então, as possíveis vítimas e o golpe começa.

Por meio de cartas endereçadas à residência das vítimas, os criminosos se passam por empresas confiáveis de advocacia e contabilidade para informar que o valor de precatório só será liberado mediante o pagamento de uma taxa administrativa. A correspondência conta, ainda, com o boleto para pagamento.

O que confere um alto nível de profissionalismo à ação é justamente o fato de os bandidos utilizarem marcas, nomes e logotipos de empresas conceituadas e honestas, o que faz com que diversas pessoas acreditem sem qualquer dúvida no que está sendo pedido. As falsas comunicações são cartas elaboradas, que colocam até número de telefone, para que as próprias vítimas façam o contato.

Recentemente em Minas Gerais o Governo do Estado anunciou a destinação de R$ 28 milhões para pagamento de precatórios. Era a notícia que os estelionatários esperavam ouvir. A partir daí, centenas de vítimas começaram a aparecer.

Em São Paulo, somente em 2018, mais de 130 mil pessoas foram vítimas desse tipo de ação. O alto número de ocorrências fez com que o Tribunal de Justiça do estado emitisse um comunicado em seus canais oficiais, explicando como a fraude funciona e pedindo para que a população não acreditasse em qualquer tipo de boleto recebido pelo correio com o logotipo do TJ-SP.

golpes contra aposentados

Como evitar:

  • Para começar, se lembre sempre de que golpes envolvem pedidos de depósitos ou pagamentos rápidos. O prazo curto serve justamente para que a vítima pague sem pensar. Por isso, sempre que receber um pedido de pagamento, analise-o com atenção e reflita sobre a possibilidade de ser uma fraude.
  • Não forneça a desconhecidos informações pessoais (como CPF, RG, endereço ou nomes de familiares), que possam ser usados por estelionatários.
  • É possível verificar a procedência das informações sobre pagamento de precatórios, junto ao Tribunal de Justiça.
  • Também pode-se conferir junto ao site da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) o nome do advogado e os contatos oficiais.  O Cadastro Nacional dos Advogados (CNA) é mantido pelo Conselho Federal da OAB.
  • Caso seja alvo do golpe, procure a polícia. É comum vítimas de estelionato ou extorsão sentirem vergonha por terem sido enganadas. E, por isso, não informarem nem familiares ou a polícia. Isso só contribui para que outras pessoas sejam lesadas. Mesmo se for apenas uma tentativa, registre o caso.