Campanhas contra vacinação colocam em risco saúde das crianças

Mais do que apenas garantir alimento e moradia, cabe a nós adultos o zelo pela saúde e bem estar das nossas crianças. Isso inclui a busca por informações, consultas médicas periódicas e a manutenção da vacinação em dia.

Além de colocar a própria saúde em cheque, as pessoas que não são vacinadas podem colocar seus familiares e outras pessoas com quem tem contato em sério risco – e contribuir para aumentar a circulação de doenças. Tomar vacinas é a melhor maneira de se proteger de uma variedade de doenças graves e de suas complicações, que podem até levar à morte.

Vacinação é assunto sério

Foi graças às campanhas intensas de vacinação realizadas nos últimos anos que o mundo pôde presenciar uma queda drástica na incidência de doenças que podem ser fatais, como o sarampo, a poliomielite e a rubéola. Mas isso não significa que elas estão erradicadas. Uma queda no índice de pessoas vacinadas pode ser capaz de fazer com que essas doenças voltem a se tornar epidemia.

É o que tem ocorrido nos últimos anos nos Estados Unidos. O país, que considerava o sarampo praticamente extinto, está passando por uma grave contaminação de sarampo, com quase 300 casos confirmados em Nova York nos últimos 6 meses. O principal agente causador dessa nova epidemia é o número cada vez maior de ativistas contra vacinação.

Com o argumento de que as vacinas não são necessárias e que podem prejudicar a saúde das crianças, muitas pessoas tem incentivado famílias a não cumprirem o calendário de vacinas previstas para bebês, fazendo com que cada vez mais crianças estejam em risco no mundo.

A única forma de garantir que essas doenças que já estavam praticamente extintas não voltem a se tornar agentes causadores de morte em massa no mundo é a vacinação.

Vai vacinar seu filho? Fique atento às dicas:

– As crianças devem estar saudáveis na hora de ser vacinadas.

– É preciso seguir à risca as recomendações médicas pós vacina para entender seus efeitos colaterais e qual tratamento indicado para remediá-los.

– Os pais de bebês prematuros devem estar ainda mais atentos às recomendações dos médicos, pois não podem tomar todos os tipos de vacina. Eles não podem receber vacinas feitas com vírus vivos, BCG até que tenham 2 quilos, e devem receber uma nova aplicação da vacina contra Hepatite B após algum tempo.

– Não atrase o dia da vacinação. Esta é a única maneira de garantir que a criança esteja sempre protegida.
– Não é recomendado viajar com a criança recém-vacinada.

Segurança da Família

Sobre a causa

Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência, o que resta ao cidadão? Adotar medidas de defesa, mudando comportamentos pessoais e tudo mais que estiver a seu alcance! No "Segurança da Família" você terá acesso a informações sobre como se defender e evitar a violência, além de conhecer melhor os seus direitos! Leia mais

Envie seu Comentário

− 5 = 4