Dicas de segurança para esportes aquáticos

Os esportes aquáticos caíram nas graças do povo e a cada dia mais pessoas se interessam por surf, Stand Up Paddle, remo, wakeboard, dentre outros. As atividades, que são perfeitas para quem mora em um país tropical e com tantas praias como o nosso, podem ser praticadas por pessoas das mais diversas idades. Porém, apesar de serem considerados diversão para toda a família, os esportes aquáticos requerem cuidados especiais de segurança.

 

Para começar, temos algumas dicas que são importantes para todo e qualquer esporte que for praticado no mar. A primeira delas é estar sempre atento à mudança da maré. No site da marinha é possível acompanhar diariamente as previsões detalhadas, assim você pode se programar para entrar e sair do mar antes da troca de maré. É importante sempre saber o horário de sair da água, pois as condições do mar mudam muito rápido e o passeio tranquilo se torna uma tormenta em poucos minutos.

Outro ponto importante é se organizar para entrar cedo na água e sair ainda à luz do dia. Isso é importante porque, caso algum acidente aconteça você conseguirá se localizar melhor para buscar um lugar seguro enquanto ainda estiver claro. Tente também não ficar muito longe da zona de banhistas – mas mantenha uma distância que ofereça segurança para eles, nada de invadir o espaço com pranchas e equipamentos que possam se chocar contra quem está no mar. Apenas tente ficar no raio de visão, caso precise pedir ajuda.

 

Wakeboard

O acidente sofrido pelo filho do apresentador Luciano Huck no último final de semana fez com que muitas pessoas buscassem mais informações sobre esse esporte e quais as normas de segurança para sua prática. A modalidade é comum para crianças e, por isso, tanto o apresentador como muitos outros pais permitem que seus filhos pratiquem. Mas é preciso ter alguns cuidados.

Para a prática, o esquiador, como é chamada a pessoa que fica na água, segura uma corda com um manete. Essa corda é presa a uma lancha e será puxada pela embarcação. Nos pés, o esquiador conta com uma prancha com duas botas fixas, ficando assim preso ao equipamento.

Na lancha, devem estar duas pessoas com habilitação para dirigir barcos (Arrais), uma no comando e outra em contato visual constante com o esquiador. Além disso, é necessário que o praticante use um colete salva-vidas de modelo esportivo. O capacete não é obrigatório, mas é recomendado, principalmente para crianças.

Outro ponto importante é conferir se a prancha é do tamanho adequado. Quando as botas ficam muito largas, as chances de o pé se desprender, o esquiador cair e até a prancha se chocar contra ele são maiores.

 

Para quem deseja remar

Já para quem vai curtir o dia em um caiaque, Stand Up Padle ou barco a remo, é importante nunca se esquecer do leash (aquela “cordinha” que te mantém preso à prancha) e o colete salva-vidas. E não importa se você estará perto de outras pessoas, ou próximo à terra firme. Esses equipamentos podem ser indispensáveis para que você retorne em segurança para casa.

Uma boa dica também é levar consigo um apito e alguma forma de comunicação (como um celular ou aparelho de GPS). Como essa atividade normalmente é de maior duração, caso seja possível, leve também um pouco de água doce para se hidratar.

Por fim, mesmo que tenha em mãos todos os equipamentos de segurança necessários, caso vá sair sozinho, informe para alguém de confiança o horário em que você vai entrar na água, qual direção pretende seguir e quanto tempo ficará remando. Caso você precise de algum tipo de resgate, essas informações serão valiosas.

 

Ensine as crianças a nadar

Por fim, essa é a dica de ouro: ensine seus filhos a nadar! Investir em aulas de natação é a principal forma de manter os pequenos mais seguros. Além de permitir que as crianças saibam se manter por algum tempo na superfície, as aulas de natação fazem com que elas percam o medo e se comportem com mais calma em caso de emergência. O medo de água, seja mar, rio ou piscina, pode prejudicar todo o processo de resgate e fazer com que a criança se afogue com mais facilidade, por entrarem em pânico.

Segurança da Família

Sobre a causa

Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência, o que resta ao cidadão? Adotar medidas de defesa, mudando comportamentos pessoais e tudo mais que estiver a seu alcance! No "Segurança da Família" você terá acesso a informações sobre como se defender e evitar a violência, além de conhecer melhor os seus direitos! Leia mais

Envie seu Comentário

62 − = 61